A desnutrição é um processo silencioso e se evitado ou identificado precocemente previne uma série de outras complicações na saúde. Estimativa da Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral Enteral (Braspen) aponta que o percentual atual de pacientes internados desnutridos pode chegar a 60%. O dado alarmante levou a entidade a criar a campanha “Diga não à desnutrição”. Como um dos pioneiros no interior do Estado, o Hospital Unimed Noroeste/RS apoia a iniciativa, fortalecendo práticas já desenvolvidas na instituição.

“Estamos sensibilizando toda a equipe da assistência a prestar atenção na nutrição do paciente internado, nos sinais e na ingesta alimentar, com o objetivo de minimizar os impactos da patologia”, aponta a nutricionista Juliana Bettega, que atua no Serviço de Nutrição e Dietoterapia. Conforme a profissional, a desnutrição aumenta, em quatro vezes, o risco de desenvolvimento de lesão por pressão e, em três vezes, o tempo de internação. “Todos precisam estar atentos e empenhados em criar um cenário diferente do apresentado nacionalmente”, reforça.

No Hospital Unimed Noroeste/RS o movimento “Diga não à desnutrição” é desenvolvido pela Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional (EMTN) e conta com a dedicação de funcionários de diferentes áreas. Uma das formas de mobilização do quadro de colaboradores foi a criação da “barraquinha de combate à desnutrição”, utilizada em postos estratégicos do complexo hospitalar, abordando aspectos orientados pela Braspen. Coordenações de Enfermagem, equipe de Fisioterapia e Corpo Clínico estão sendo envolvidos também em videoaulas e estimulados a atuar como disseminadores. “Aderimos a campanha com o objetivo de implementar as ações propostas e assim melhorar ainda mais o atendimento assistencial prestado ao paciente desnutrido ou em risco, bem como reduzir as taxas inaceitáveis de desnutrição hospitalar”.

Em casa ou em ambiente hospitalar, a família tem papel fundamental no incentivo ao paciente, contribuindo para que realize os cuidados necessários até sua plena recuperação. “Acolher e engajar o paciente e seus familiares no tratamento é um dos desafios da equipe multidisciplinar, construindo conhecimento destes durante a internação para que tenhamos uma alta segura. Precisamos empoderar pacientes e familiares acerca dos cuidados que precisam ser mantidos no domicílio”, explica Juliana.

Mas a preocupação do Hospital Unimed com estes aspectos não é de agora. Já é prática instituída a triagem nutricional do paciente nas primeiras 24 horas de internação, medida que visa identificar precocemente os pacientes em risco de desnutrição ou desnutridos e a melhor dietoterapia a ser seguida. “O nosso alerta é de que não é somente a medicação que influencia na reabilitação do paciente. Existem vários aspectos, entre os quais o nutricional, importantes para que a saúde se reestabeleça. Esta atenção multidisciplinar contribui para um serviço de excelência focado no cuidado integral”, reforça o gerente Assistencial e de Apoio, Günter Melchiors.

A campanha – O movimento “Diga Não à Desnutrição”, promovido pelo Braspen, tem como objetivo reduzir as taxas de desnutrição por meio de uma série de ações que incluem triagem, diagnóstico, manejo e tratamento da desnutrição. Busca ainda tornar de conhecimento público a prevalência e os problemas causados pela desnutrição hospitalar, que ocorre quando o paciente não se alimenta bem e não supre assim suas necessidades nutricionais. Entre as consequências está a perda de peso e de apetite, bem como prejuízos na evolução clínica.

“No Brasil, a taxa de desnutrição varia entre 20 e 60% em adultos hospitalizados e durante a hospitalização esta condição piora progressivamente principalmente em idosos e pacientes críticos”, informa o Braspen. A entidade alerta que também são complicações desta patologia: pior resposta imunológica, atraso no processo de cicatrização, risco elevado de complicações cirúrgicas e infecciosas, aumento do risco de mortalidade, com consequente considerável aumento dos custos hospitalares.