Na manhã desta segunda-feira, dia 09, o curso de Medicina da Unijuí deu mais um passo para a consolidação da formação de novos médicos na região: tiveram início as aulas práticas da primeira turma do curso no Hospital de Caridade de Ijuí (HCI), uma importante etapa formativa. A partir de agora os estudantes vão realizar uma interação constante com os pacientes e se integram com as rotinas do hospital, supervisionados por professores médicos do corpo clínico. 

Desta forma, o Hospital e a Universidade realizaram uma atividade de acolhimento dos 30 estudantes da turma, na manhã desta segunda, com a participação da diretoria do HCI, Reitoria da Unijuí e coordenação do curso. Na programação, além da acolhida, também ocorreram palestras sobre Desenvolvimento Humano, Medicina Ocupacional (SESMT), Escritório de Qualidade, Serviço de Controle de Infecção Hospitalar e Tecnologia da Informação.

Na abertura oficial da ambientação, o presidente do HCI, Paulo Stumm, observou que o momento é muito especial para a instituição, de poder receber e realizar a integração dos futuros profissionais com o corpo clínico e os profissionais de saúde para atividades práticas com a Universidade. 

Já a Vice-Reitora de Graduação da Unijuí, professora Fabiana Fachinetto, ressaltou a importância do momento para o curso de medicina da Unijuí e a parceria com instituições como o HCI, que trabalham em conjunto pelo desenvolvimento regional e melhoria da qualidade de vida da população com a melhoria dos serviços prestados à comunidade. 

E segundo o coordenador do curso, professor Jorge Brust, o curso sai de uma fase mais básica de formação, de orientação aos alunos e entra em um hospital, fazendo parte da atenção em saúde, para o que se chama de prática médica. “Estamos todos felizes que o curso está andando muito bem, com excelência”, avalia.

A partir de agora as atividades serão realizadas dentro das atividades do componente curricular intitulado Propedêutica e Semiologia, integrante do Módulo de Ensino correspondente ao quarto semestre do curso, enfatizando a anamnese e observação clínica e exame  físico, instrumentalização para exame físico, conceitos básicos de Diagnóstico por Imagem e sua relação topográfica com órgãos e estruturas. Neste estágio formativo os estudantes aprendem a estabelecer o diálogo com os pacientes, a conhecer as  técnicas de anamnese e de exame físico, estimulados a desenvolver e aplicar o raciocínio  clínico, desde os primeiros contatos com os pacientes, nos diferentes cenários de  prática, para a compreensão e avaliação abrangentes dos problemas identificados. “É um processo importante e básico, que habilita os estudante a evoluir nas cadeiras mais práticas do curso. Basicamente todo estudante de medicina anseia por este dia para começar a sua atuação em Hospital”, salienta a professora Ana Caetano, organizadora da disciplina, que também é integrada pelos seguintes professores: Ana Lúcia Chaves dos Santos Doile, Cheila Meincke Eickhoff, Dario Gervásio Ronchi, Guilherme Galante Heuser, Hércules Aparecido de Moraes, João Carlos Lisbôa, Marcos Soares, Maria Leocádia Bernardes do Amaral Padilha e Marieli Zardin Moraes.

A estudante Cíntia Bastos Rodrigues observa que, a partir de agora, será possível ter uma perspectiva mais ampla da profissão. “É um momento muito importante e o início de uma fase diferente do curso”, complementa. Por sua vez, a estudante Giovana Vetoratto avalia a importância do contato com a realidade em um hospital. “Será muito bom ter esta experiência nova a partir de agora”, disse.