Foto: ConecteSUS. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil


O Ministério da Saúde liberou uma atualização para o aplicativo ConecteSUS e o sistema voltou a exibir o Certificado Nacional de Vacinação contra a Covid-19. A atualização está disponível para usuários de aplicativos Android e iOS.

No início deste mês, a página e o aplicativo do ConecteSUS, assim como o site do Ministério da Saúde, sofreram um ataque cibernético. Esse problema deixou o aplicativo fora do ar durante 13 dias. A plataforma foi restabelecida na última quinta-feira (23), porém, ainda com alguma instabilidade.

O dano levou o Governo Federal a adiar em uma semana a entrada em vigor das medidas de restrição para viajantes, estrangeiros ou não, que chegam ao Brasil. A ideia era que as medidas passassem a valer a partir do dia 11 de dezembro. 

Para evitar imprevistos como esse, a bancária Giselle Cavados, de 42 anos, moradora de Brasília, disse que deixou os comprovantes de vacina impressos. “Acabei me antecipando e tirei os certificados e imprimi antes mesmo do site sair do ar, justamente para não ter nenhum risco, porque eu vou viajar agora nas férias de janeiro e queria estar com tudo certinho para isso”, afirma.  

Além da ideia que Giselle teve, outra dica é salvar o certificado de vacina em ambientes como bloco de notas, e-mail e na nuvem, em serviços como Dropbox e Google Drive, por exemplo, em pelo menos três idiomas, se for o caso, para eventuais viagens internacionais.

Sistema afetado

De acordo com o Ministério da Saúde, o incidente afetou, ainda, o sistema de notificação de casos de Covid-19. O e-SUS Notifica, que conta com dados sobre casos e mortes pela doença, estava inacessível há 11 dias, mas voltou ao ar na última terça-feira (21). 

O especialista em Cibersegurança e Proteção de Dados Cláudio Dodt afirma que esse tipo de crime está cada vez mais comum, e todas as empresas, independentemente do porte, podem ser alvo dessas ações. 

“Hoje em dia, qualquer organização que tenha uma presença digital, mesmo pequenas e médias empresas, podem sim vir a ser vítimas de grupos cibercriminosos. Então, é extremamente importante que hoje, toda organização compreenda e trate os seus riscos de cibersegurança”, considera.



Fonte: Brasil 61