Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 6 milhões de associados e presença em todos os estados brasileiros, recebeu a edição mais recente do Innovation Talks, evento que reúne as empresas Innovation Partners do AgTech Garage. O intuito da agenda é que os executivos e catalisadores possam trocar experiências sobre os desafios internos e externos ao trabalharem com a inovação aberta.

 

Na edição de outubro, realizada nos dias 26 e 27 no Rio Grande do Sul, o Sicredi organizou uma programação no Centro Administrativo Sicredi (CAS), em Porto Alegre, além de visita à cooperativa e a um associado na Serra Gaúcha. Com direito a um tour pela sede do Sicredi, apresentação do AgTech Garage e dos parceiros e workshop sobre inovação no agronegócio, os participantes também tiveram a oportunidade de conhecer a sede da Cooperativa Sicredi Serrana e uma de suas agências em Bento Gonçalves (RS), especializada em agronegócio.

 

“Receber essa edição do Innovation Talks foi um privilégio. Organizamos uma programação completa para mostrar um pouco do nosso funcionamento aqui no Sul do país, inclusive com uma visita técnica à propriedade rural de um dos associados do Sicredi que utiliza soluções desenvolvidas por meio do AgTech Garage”, comenta Luis Veit, superintendente de Agronegócio do Sicredi.

 

O Innovation Talks é um evento idealizado pelo AgTech Garage, hub de inovação no agronegócio, que tem o objetivo de reunir líderes dos seus Innovation Partners, como Sicredi, para proporcionar trocas de experiências e aprendizados. Esta é uma das edições bimestrais do evento em que o Sicredi participa e a 1ª realizada no CAS, contando com a presença de parceiros como Bayer, Bunge, Ceva, OCP, John Deere e Suzano.

 

"A experiência foi fantástica para fazermos uma imersão no universo Sicredi e entender a essência do cooperativismo, que tem muita conexão com esse movimento de inovação aberta — no fundo é uma inovação em rede, uma inovação colaborativa, ou seja, cooperativa também. Durante o encontro, também pudemos aumentar ainda mais o engajamento entre os Innovations Partners e conhecer de perto a realidade do produtor, objetivos chave do Innovation Talks”, diz José Tomé, CEO do AgTech Garage.

 

"Inovação é um processo que exige colaboração e, por isso, encontros como o Innovation Talks são indispensáveis para trocarmos experiências com diferentes parceiros. Só assim conseguirmos cocriar soluções para os desafios e problemas do agronegócio. Essa edição foi uma oportunidade para entendermos ainda mais o cooperativismo, o que nos ajudou a imergir no dia a dia dos produtores e compreendermos suas necessidades", comenta André Fukugauti, gerente de inovação aberta da divisão agrícola da Bayer.

 

“Entendemos que a inovação aberta, principalmente num contexto de aceleração da transformação digital, é um tema central para garantir a competitividade do agronegócio. Por isso, eventos como este são essenciais para fomentar debates e promover a troca das melhores práticas para enfrentar desafios comuns para, desta forma, impulsionar o processo de inovação dentro das empresas”, diz Braian Souto, gerente Sênior de Global Digital Office da Bunge.

 

“Acreditamos que um dos pilares da Inovação Aberta é a colaboração, não apenas com startups, mas também com outras corporações e todos os outros agentes desse ecossistema. Ter esse momento de troca com empresas que são referência em seus setores foi uma experiência enriquecedora, tanto pela oportunidade de conhecer realidades diferentes, que nos traz repertório e insights para aplicar dentro de nossa empresa, quanto pela união de todos os Innovation Partners, que abre portas para que juntos possamos trabalhar na missão de fomentar a inovação no segmento agroflorestal”, diz Beatriz Claudino Souza, gerente de Inovação Aberta da Suzano.

 

“O sucesso da inovação está diretamente ligado a prática da escuta ativa e da colaboração entre os elos envolvidos. Encontros como o Innovation Talks são fundamentais para conhecermos melhor nossos parceiros de inovação do ecossistema e identificarmos desafios comuns. Vivenciar a dinâmica do cooperativismo, e ouvir a perspectiva de agricultores direto do campo, é de grande valia para amadurecermos a co-criação de ações inovadoras voltadas a diferentes elos da cadeia de valor do agro”, contextualiza Franciele Trentini, coordenadora de Inovação na OCP Brasil.

Fonte: Sicredi das Culturas RS/MG ? Guaxupé