N aultima terca feira, 07 de junho, a Ceriluz foi sede da Assembleia Geral Ordinária (AGO)

 

do Sindicato das Cooperativas de Eletrificação e Desenvolvimento do Estado do Rio

 

Grande do Sul – Sindicooper. O sindicato compreende representantes de 22

 

cooperativas gaúchas atuantes na geração e distribuição de energia. As ações se

 

iniciaram às 9h30 e tiveram como objetivo aprovar o Relatório de Gestão do Exercício

 

2015, que compreendeu o Balanço Patrimonial e o Parecer do Conselho Fiscal; a

 

destinação dos resultados do exercício e a aprovação das receitas e despesas para o

 

exercício 2016.

 

A Assembleia foi presidida pelo presidente do Sindicooper, Iloir de Pauli (Ceriluz), pelo

 

vice-presidente Kurt Grenzel (Certhil) e pelo secretário Renato Martins (Certaja). Em

 

seu parecer, o presidente Iloir de Pauli destacou, entre várias atividades, o

 

acompanhamento do processo de enquadramento das cooperativas pela Agência

 

Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e das mudanças que ocorreram e estão

 

ocorrendo no Sistema Elétrico Nacional, além de manter o bom relacionamento com o

 

Sindicato dos Colaboradores das Cooperativas de Eletrificação do RS – Sitracooper. “O

 

setor elétrico brasileiro, nos últimos anos, sofreu sérias transformações, contra a

 

continuidade da expansão, notadamente pela interferência do governo e em especial às

 

nossas cooperativas, cujos resultados não foram mais danosos graças a mobilização

 

junto ao Congresso Nacional e no Governo Federal”, avaliou Iloir.

 

O presidente lembrou também o destaque que as cooperativas gaúchas tiveram no

 

cenário nacional, especialmente no Índice Aneel de Satisfação dos Consumidores

 

(IASC), que conferiu à Cermissões, de Caibaté, o prêmio de melhor distribuidora do

 

Brasil, entre as 101 pesquisadas, mesma posição no Estado, onde a Ceriluz, cooperativa

 

que Iloir preside, foi a segunda melhor distribuidora, e a Creral, de Erechim, a terceira.

 

Outro dado importante citado foi a média geral de aprovação das cooperativas

 

permissionárias, de 69,31%, enquanto que das demais distribuidoras foi de 57,03%.

 

“Estamos presentes e prestando serviços de alta qualidade aos nossos associados,

 

principalmente pela proximidade deles, pelas reuniões mensais e pelo permanente

 

treinamento e qualificação de nossos funcionários, por isso temos recebido o

 

reconhecimento dos associados”, comentou Iloir.

 

Após a aprovação dos itens constantes no edital, o Sindicato realizou ainda Assembleia

 

Geral Extraordinária que, entre outros temas, tratou das negociações coletivas com a

 

classe dos empregados das cooperativas de eletrificação e definiu os parâmetros para a

 

concessão do dissídio coletivo 2016, que está em discussão com o Sindicato dos

 

Funcionários das Cooperativas - Sitracooper.

 

Na mesma data, paralelamente às assembleias do Sindicooper, a Ceriluz sediou ainda

 

uma reunião de técnicos das mesmas cooperativas, para avaliar o processo de

 

solicitação do fornecimento de energia, visando a otimização e padronização do

 

atendimento aos associados.

Fonte: CERILUZ