De um lado a saúde, de outro a necessidade de produção em larga escala para suprir as necessidades de uma nação. O cultivo de produtos com a utilização de agrotóxicos é algo que tem gerado discussões, tanto relacionadas ao consumo, quanto à exposição do agricultor e da população em geral à sua aplicação. O assunto desperta a atenção de diferentes segmentos da sociedade. Na terça-feira, 27, o tema foi destaque da Caravana da Amrigs, edição realizada em Ijuí. A bióloga Vanda Garibotti, que atua no Centro Estadual de Vigilância em Saúde do Rio Grande do Sul, palestrou sobre o tema “Os agrotóxicos e os riscos à saúde”.

Embora a utilização na pecuária, no combate a insetos ou na desratização, a palestrante aponta que a maior utilização de agrotóxicos ocorre na agricultura, com maior escala no uso de herbicidas. O glifosato é o mais utilizado entre estes.

Vanda Garibotti salienta que a intoxicação por agrotóxicos ainda é difícil de ser mensurada, pois muitas vezes os agricultores que sentem algum sintoma não procuram atendimento médico, dificultando o registro. Desta forma, pequena parte da intoxicação aguda grave é possível de ser identificada pelo setor de saúde. “A exposição pode levar ou não a uma intoxicação”, aponta a bióloga, reforçando que “a intoxicação é quando o indivíduo vai sentir os efeitos em seu organismo”.

Conforme a palestrante, dos 254 casos de intoxicações agudas graves registradas pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) no Rio Grande do Sul em 2015, 151 foram ocasionadas por produtos de uso agrícola. Em Ijuí, entre 2010 e 2014, cinco casos graves de intoxicação foram registrados pelo órgão.

Para Vanda, cabe ao setor de saúde atender o problema, diagnosticar e também prevenir. “O alimento deve ser algo protetor à saúde” e não algo que traga problemas a ela, aponta a bióloga, especialista em Saúde Pública,

Direito Sanitário e mestre em Saúde Coletiva. “A agricultura é uma riqueza para o nosso Estado. Mas é uma riqueza que não pode ser a nossa algoz”, frisa.

A Caravana da Associação Médica do Rio Grande do Sul em Ijuí foi realizada através da Associação Médica do Noroeste (Amen), com apoio da Unimed Noroeste/RS e Hospital de Caridade de Ijuí (HCI). A abertura do evento foi realizada pelo oncologista Fábio Franke, pela presidente da Amen Márcia da Costa Eifler e pela gerente de Defesa Profissional da Amrigs, Maria da Graça Gonzalez Schneider.

Fonte: UNIMED