Contrariando a previsão de chuva durante o dia, o sol brilhou no domingo,
quando foi realizada a 66ª Romaria Diocesana ao Santuário de Nossa Senhora de
Fátima. Milhares de pessoas caminharam em procissão, acompanhando a Imagem
de Nossa Senhora. Por volta das 09 horas da manhã, a Imagem, conduzida pelos
casais de festeiros da romaria do próximo ano, saiu da Catedral Diocesana, onde foi
realizada a missa de acolhida aos romeiros, e seguiu até o Santuário.
Demonstrando sua fé e agradecendo as graças alcançadas, muitas pessoas
caminharam descalças. Assim como muitas crianças vestidas de anjos, pequeninos
que se destacavam na multidão. O pequeno Christoffer Machado Motta, de apenas
1 aninho, foi um deles e acabou cochilando no trajeto.
Cheio de alegria, o Bispo Diocesano Dom Adelar Baruffi, comemorou a
grande participação dos fieis na romaria e celebração. Lembrou que, além do povo
da Diocese, muitas pessoas vieram de outros lugares, inclusive, pessoas que são da
cidade, mas residem, hoje, fora e aproveitam este dia para vir participar da
caminhada e visitar seus familiares e amigos. “Na casa da mãe todos são acolhidos”,
enfatiza.
Segundo o Bispo, a romaria teve um ano inteiro de preparação,
especialmente por ser a romaria do Ano Mariano e que, na Diocese de Cruz Alta, se
intensificou com as comemorações dos 300 anos de Nossa Senhora Aparecida, cuja
imagem peregrinou em todas as nossas 600 comunidades e, também, com as
comemorações do centenário das aparições de Nossa Senhora de Fátima, que é
nossa devoção principal aqui no nosso Santuário.
Dom Adelar lembrou ainda a preparação nos encontros de família, onde os
grupos refletiram sobre o tema da romaria deste ano, acolhendo as palavras que
Maria disse: Fazei tudo o que Ele vos disser. ”De verdade nós aprendemos de
Maria a não olhar para ela. Olhamos para ela para que nos conduza ao seu filho.
Para que ela nos acolha, para que nos mostre o caminho que é o seu filho Jesus
Cristo. Este é o sentido bonito da celebração dos 100 anos das aparições e de uma
maneira tão singela, tão simples ela nos mostra que o caminho cristão é feito do
cotidiano. Do cotidiano da vida familiar, da vida pessoal, da vida comunitária, a
oração do terço, a conversão, o perdão dos pecados, a busca da paz, são todos
elementos da vocação cristã do evangelho de Jesus Cristo que Maria nos recorda”,
diz.
Para os casais de festeiros desta edição, o sentimento era de “missão
cumprida”. Para o coordenador do grupo, Carlos Brizola, foi um ano de muito
trabalho, mas, também, de muito aprendizado, preparação, convivência e muito
mais. O grupo esteve visitando todas as paróquias da Diocese, convidando e
motivando as pessoas para participarem da caminhada. “Formamos uma família e
sentiremos saudades. Acredito que, tanto a minha vida, quanto a vida dos demais
casais de festeiros, jamais será a mesma”, destacou.
Flash mob
Após a missa, centenas de jovens representando as paróquias da Diocese
apresentaram um flash mob, organizado pelo Setor Juventude, especialmente para
a Romaria. Durante os últimos meses, a coreografia criada pela professora de
dança, Helena Vigoritto, rendeu o “desafio Flash mob” que mobilizou os grupos de
jovens de toda a Diocese.

Pastorais Sociais na Romaria
Pela primeira vez, as Pastorais Sociais e Cáritas realizaram o “Bazar
Solidário” durante a 66ª Romaria de Fátima, com as roupas vindas da Alemanha. O
espaço contou, também com uma feira de produtos produzidos pelos grupos da
economia solidária, com artesanatos, doces, bolachas, além de medicamentos
fitoterápicos feitos pela Pastoral da Saúde. “O espaço de divulgação e
comercialização de produtos já ocorria tradicionalmente na Romaria, mas na
edição deste ano teremos o primeiro bazar. É importante salientar que todo o valor
arrecadado neste espaço será revertido no auxilio dos projetos sociais da igreja”,
destaca Cinara Dorneles, Coordenadora das Pastorais Sociais.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Diocese de Cruz Alta