Hospital de Caridade vai ampliar e qualificar os atendimentos em mais de 20 municípios da região. O ministro Ricardo Barros também visita os municípios Tenente Portela e Santo Augusto


 

 


A população de Ijuí (RS) e região recebe um reforço para ampliar o atendimento oncológico, garantindo mais agilidade no acesso ao tratamento. O Centro de Alta Complexidade em Oncologia (CACON) do Hospital de Caridade (HCI) ganha mais um acelerador linear. A estrutura onde, está instalado o novo aparelho, foi inaugurada nesta sexta-feira (24) pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros. O Ministério da Saúde investiu R$ 3,8 milhões, por meio de convênio, para a compra do equipamento, que é utilizado no tratamento de vários tipos de câncer. Com mais um acelerador disponível, o hospital conseguirá dobrar o número de atendimentos para pacientes de Ijuí e de 20 municípios da região.

O Centro Oncológico atende em média cerca de três mil pacientes, que realizam sessões de radioterapia na unidade, sendo que 25% dos atendimentos são de pacientes de Ijuí e 75% de pacientes de outros municípios. Em 2016, foram realizados na unidade 76.533 procedimentos entre cirurgias de câncer, quimioterapia e outros exames. Para realização desses procedimentos o Ministério da Saúde disponibilizou R$ 22,8 milhões.

Nesta gestão, o Hospital de Caridade foi contemplado com a liberação de R$ 259 mil de custeio para expansão da oferta dos serviços prestados à população. Ainda neste ano, a pasta empenhou R$ 7,9 milhões para a compra de um novo angiógrafo – aparelho usado para mapear veias e artérias do corpo humano – e um aparelho de ressonância magnética para a instituição. Esses recursos serão repassados por meio de convênio firmado com a Associação Hospital de Caridade Ijuí. Atualmente, o hospital não conta com equipamento de ressonância magnética. Com a aquisição, poderá ser usado no diagnóstico de alta definição dos órgãos internos. O convênio também prevê a aquisição de aparelho de anestesia para ressonância magnética e monitor multiparâmetros para ressonância magnética, que são obrigatórios para o funcionamento do equipamento de ressonância magnética.

Nos últimos anos, observou-se uma crescente oferta da radioterapia no país. Em 2010, foram realizados 8,3 milhões procedimentos de radioterapia. Em 2016, foram 10,45 milhões, um aumento de 25,9%. Vale ressaltar que essa ampliação da assistência é resultado do investimento realizado pelo Ministério da Saúde na compra de aceleradores lineares, por meio de convênios. O Ministério da Saúde estuda a aquisição de outros 20 equipamentos por meio de aditivo ao contrato firmado em 2014 para a compra dos 80 aparelhos. Serão priorizados novos serviços, desconcentrando a oferta. Antes, a prioridade era a ampliação de serviços, em geral, nos grandes centros urbanos, mantendo o atendimento longe de parte da população. Os novos equipamentos que serão adquiridos viabilizarão uma economia de aproximadamente R$ 25 milhões em relação ao que era realizado por meio de convênios.

TENENTE PORTELA – Ainda no Rio Grande do Sul, o ministro Ricardo Barros participa da inauguração da Unidade de Cuidados Intermediários (UCI)Neonatal no Hospital Santo Antônio, no município de Tenente Portela. A unidade atende 80% SUS e é Centro de Referência Regional em Oftalmologia, prestando atendimento para 54 municípios da região. A nova UCI Neonatal do hospital contará com 10 leitos convencionais e cinco leitos canguru.

Além de atender a população de Tenente Portela, o Hospital também é referência para a população indígena do município vizinho de Redentora, com aproximadamente sete mil indígenas. No Centro de Reabilitação Visual, Física e Auditiva, mensalmente, são atendidos cerca de 350 novos pacientes para colocação de próteses de mão, perna, olho, entre outros. A unidade possui 121 leitos, sendo 93 SUS e atende nas especialidades de cardiologia, urologia, pediatria, traumatologia, infectologia, entre outras.

SANTO AUGUSTO – O ministro também participou da inauguração da ampliação da estrutura física do Hospital Bom Pastor, no município de Santo Augusto.  O hospital, de gestão estadual, atende média e alta complexidade e é referência para sete municípios da região. O hospital possui 72 leitos, sendo 50 SUS. Atende nas especialidades de clínica médica, clínica cirúrgica, obstetrícia e pediatria.

A unidade possui 100 profissionais, sendo 11 médicos que atendem SUS. Atualmente o Hospital Bom Pastor realiza pelo SUS, em média, 800 atendimentos por mês e cerca de 200 internações.

Fonte: Agência Saúde