Ser doador de medula óssea é um ato de amor, carinho e
principalmente solidariedade com o próximo. Pensando nesses aspectos a UTI
Neonatal do Hospital Unimed Noroeste/RS realizou campanha de Doação de
Medula Óssea. O cadastramento ocorreu nesta quinta-feira, 22, em parceria
com o Hemocentro (Cruz Alta), o qual realizou a coleta no auditório do
Hospital Unimed.
A campanha surgiu a partir do desafio Mude1Hábito da Unimed, no qual
os setores internos da cooperativa foram encorajados a adoção de boas
atitudes, para que estas se tornassem rotina entre os funcionários. Sendo
assim, a UTI Neonatal resolveu fazer esta campanha. Para a coordenadora do
setor, Daiane Zambon Dockhorn, foi muito gratificante ver todo o emprenho
da cooperativa, ver o quanto todos compraram a ideia. “Ficamos muito felizes
em ver o tanto de pessoas que vieram fazer o bem, sendo este um gesto pode
salvar vidas”, ressaltou.
O transplante de medula pode beneficiar o tratamento de cerca de 80
doenças em diferentes estágios e faixas etárias. Na tarde foi realizado o
preenchimento do documento de doador, coletada amostra de sangue, para
realizar a tipagem de HLA, que identifica as características genéticas de cada
indivíduo.
Os dados do doador foram inseridos no cadastro do Registro Nacional de
Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome) e, sempre que surgir um
novo paciente, a compatibilidade será verificada. Quando for compatível, a
pessoa será consultada para decidir quanto a doação. O cadastro é válido por
15 anos e, por isso, é importante manter os dados pessoais atualizados.
Estiveram presentes cerca de 237 pessoas para realizar o cadastro. Para
a enfermeira Patrícia Brandão, uma das voluntárias da tarde, “é um ato tão
simples, fácil e rápido de ajudar ao próximo. Basta ter disposição e vontade”.

Já a fisioterapeuta Fabiane Mazzurana, “a possibilidade de saber que alguém
pode se curar com uma atitude tão pequena, traz uma satisfação muito
grande”.

Fonte: UNIMED