A URI Santo Ângelo reuniu autoridades e convidados especiais no final da tarde de quarta-feira, 21, para inaugurar o Parque Científico e Tecnológico das Missões – TecnoURI. Implantado a partir de convênio entre a Universidade e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do RS, o Parque, que tem gestão a cargo da URI Santo Ângelo, oferece instalações físicas, laboratórios e pesquisadores para o desenvolvimento de tecnologia aplicada às empresas. Nos 1.273m² de área construída, conta com auditório, recepção, sala de reuniões, laboratórios, sala de empreendimentos, vigilância e estacionamento.

Os diretores Gilberto Pacheco – Geral, Marcelo Stracke – Acadêmico, e Berenice Beatriz Rossner Wbatuba – Administrativa; os gestores do TecnoURI Antonio Vanderlei dos Santos – Científico, Rômulo Madrid de Mello- Administrativo; o gestor da URINOVA Carlos Oberdan Rolim, e o gestor do Polo Missões Flávio Kieckow recepcionaram os convidados.

O ato de inauguração contou com a presença do pró-Reitor de Ensino da URI Arnaldo Nogaro, do prefeito de Santo Ângelo Jaques Barbosa, do vice-prefeito Bruno Hesse, do vereador Vinícius Makvitz, da coordenadora de Programas PGTEC e RS Incubadoras, Nadia Íbias, que representou a Secretaria Estadual do Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico; do presidente da Rede Gaúcha de Ambientes de Inovação Carlos Eduardo Aranha; da gestora da Incubadora de Empresas da Unijuí Maria Odete Palharini; do vice-decano da Universidade Nacional de Missiones professor Jorge Luis López; do diretor de Pesquisa, Extensão e Inovação do Instituto Federal Farroupilha Adilson Stamberg; da presidente do NITT do Instituto Federal Farroupilha Fátima Zan; do presidente da Associação dos Municípios das Missões Brasil Sartori, Secretário da Indústria e Comércio João Baptista Santos da Silva; presidente do Corede Missões José Claudio Lourega Reis; representante da Acisa Anderson Filipin Romero; presidente da CDL Viviane Obadowski; diretor da Fundimisa Paulo Ely; coordenadora da 14ª CRE Enida Lange Sallet, representantes de entidades de classe e empresários parceiros da URI na área de pesquisas, além de chefe de departamento, coordenadores de cursos, professores e funcionários da URI.

MANIFESTAÇÕES

Em sua manifestação, o diretor Gilberto Pacheco disse que o TecnoURI resulta de caminhada que envolve diferentes governos do RS, profissionais da URI e empresários parceiros. “Seu objetivo é criar inovações e agregar valores que descentralizem o desenvolvimento. Precisamos reverter uma situação de perda de população. E o desafio da Universidade é investir em educação, ciência e tecnologia, contando com apoio de empresas, conselhos regionais e poder público”.

Na sequência, o gestor científico do Parque, Antônio Vanderlei dos Santos observou que a região forma profissionais que vão embora fazer outras regiões ficarem mais ricas. “Nós temos dificuldades e pouco dinheiro. É o lugar ideal para inovar e buscar soluções. Nós vamos mudar paradigmas, na medida em que o Parque existe para resolver problemas”.

O gestor administrativo Rômulo Madrid de Mello explicou como irá funcionar o TecnoURI Missões e como as empresas podem buscar espaço e apoio deste ambiente de inovação. “Nos últimos 12 anos, já foram captados R$ 12 milhões em recursos através de projetos, para aquisição de equipamentos e melhorias nos laboratórios inseridos no Polo de Modernização Tecnológica das Missões, assim como a implantação da Incubadora  URINOVA e agora do Parque Científico e Tecnológico. A caminhada é árdua, mas os resultados são fundamentais para o desenvolvimento”.

Flávio Kieckow, gestor do Polo Missões e coordenador do projeto do Parque, disse que “um TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) na URI identificou que 66% das empresas na Região encontram dificuldade em desenvolver seus produtos e projetos. Temos profissionais muito capacitados, a URINOVA, o NITT, o Nepi e agora o TecnoURI. Acreditamos, pois, ser possível mudar a realidade. Mas sozinhos, é difícil. Precisamos da parceria com as empresas e o poder público”.

Em nome da Rede Gaúcha de Ambiente de Inovação, Carlos Eduardo Aranha observou que hoje, há 300 empresas instaladas em Parques e Incubadoras no Estado. “É importante que vocês transformem esta iniciativa em ferramenta do desenvolvimento regional”.

Encerrando as manifestações, o prefeito Jaques Barbosa entregou uma placa em homenagem aos 25 anos da URI como Universidade. “Hoje, nos seus 145 anos de emancipação, Santo Ângelo está recebendo um grande presente da URI. Como indutora do desenvolvimento, a prefeitura quer atuar lado a lado com a Universidade. Portanto, contem com nosso apoio”.

Após coquetel de confraternização, um grupo de professores e gestores de parques de outras instituições visitaram a Urinova e diferentes laboratórios da Universidade.

Fonte: URI