A Hannover Messe International ou Feira Industrial de Hannover, que ocorreu durante os dias 23 a 27 de abril na Alemanha, contou com a participação da empresa incubada da Criatec Doled. O proprietário da empresa, João Fernando Weber, participou da Feira que é o principal evento internacional de tecnologia e transformação da indústria. A viagem foi realizada por meio do Edital Sebrae 01/2016, onde a empresa teve o projeto de Luminária LED Microcontroladora para Horticultura/Hidrophonia aprovado no ano de 2016.

“O objetivo mais importante [da participação na Feira] foi buscar novas tecnologias e aplicar dentro da Doled. Buscamos também compreender como os países desenvolvidos estão em relação às indústrias no Brasil e como será a indústria 4.0 daqui para frente, com tudo cada vez mais conectado e a diminuição da mão de obra repetitiva”, explicou João. Este ano, o tema escolhido para nortear as discussões da Feira foiIndústria Integrada – Conectar e Colaborar, com o intuito de promover a interação entre automação e tecnologia de energia, plataformas de tecnologia da informação e inteligência artificial.

Com objetivo de compartilhar o conhecimento adquirido com a participação, João reuniu-se, na última semana, com as demais empresas incubadas da Criatec. Na oportunidade, ele citou a importância da conexão entre universidades e empresas, afim de procurar soluções e promover o fomento da tecnologia local. “A Alemanha é uma grande exportadora de tecnologias e sabemos que são conhecidos por sua qualidade nos produtos. Isso reflete diretamente o que vimos na feira com relação a indústria 4.0”, afirmou.

Levando em consideração, a programação da Feira e o futuro das empresas, Weber destacou também alguns pontos positivos. “Apesar de já termos vistos braços robóticos e outras tecnologias em grandes empresas aqui no Brasil, o que se destacou foi o setor de T.I. e internet das coisas dentro da indústria na Alemanha, observa-se pequenas e grandes empresas com sistemas próprios e embarcados, conectados a tal ponto que da matéria bruta até o produto final, tudo está ‘endereçado’ desde o cliente, fornecedor, operário, setor, tudo conectado, possibilitando uma análise de produção em tempo real, time-to-time, o que não se vê até então. Isso possibilita uma redução de erros e consequentemente de custos, o que reflete diretamente para o consumidor”, apontou o empresário.

Weber enfatizou ainda aos colegas a importância do setor de T.I. como responsável pela agilidade no desenvolvimento das empresas. “O Brasil possui empresas de alto padrão, mas são poucas, devemos fomentar a tecnologia e diminuir mão de obra repetitiva para dar lugar a mão de obra especializada de ensino superior”, conclui.

Fonte: Agência Experimental Usina de Ideias