Aconteceu na manhã de terça-feira,12, em ato realizado no Salão Farroupilha da Prefeitura de Ijuí o lançamento do Programa Família Acolhedora. O programa visa cadastrar e capacitar famílias da comunidade para receberem em suas casas, por um período determinado, crianças e adolescentes ou grupos de irmãos em situação de risco pessoal e social.

 

 

Romi Rohde disse que o prefeito Valdir Heck foi quem estimulou a busca de uma forma diferente de acolhimento para crianças e adolescentes. “Com apoio da Promotoria, do Juizado da Infância, todos se prontificaram a estudar e buscar uma solução, o que acabou culminando com a aprovação da lei que permite a implantação do Programa Família acolhedora”, observou.

 

A importância da família foi destacada pelo prefeito Valdir Heck. “Eu tenho dito que tudo começa na família. “Normalmente o filho busca seguir os passos do pai e da mãe e conforme forem esses passos poderá se conduzir”, observou.  E por isso, continuou o prefeito: “iniciativas como essas são importantes. Esse programa vem no sentido da filosofia da Administração Municipal que é desenvolver todo o seu trabalho para a vida humana, para a construção cidadã”,disse.

 

A inscrição das famílias interessadas em participar do Programa Família acolhedora começa ser feita já a partir da próxima segunda-feira, 18, no Prédio da Câmara de Vereadores, à Rua Benjamin Constant, 116, 1º Andar. “Posteriormente essas famílias serão capacitadas para o acolhimento de crianças e adolescentes”, explicou a coordenadora do Programa, assistente social Cristiane Barasuol.

 

Esse acolhimento compreende amparo, aceitação, amor e a oportunidade de convivência familiar e comunitária. A família acolhedora representa a possibilidade da continuidade da convivência familiar em ambiente sadio para a criança e para o adolescente. Ao desenvolver esse programa, o Poder Executivo, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, quer oferecer a crianças e adolescentes o apoio necessário no período que estes estão se preparando para retornar a família biológica ou para seguirem para uma família substituta.

Além do prefeito Valdir Heck e da secretária de Desenvolvimento Social, Romi Rohde, cuja pasta é responsável pela coordenação do Programa, formaram a mesa de condução dos trabalhos, a promotora Marlise Bortoluzzi, a juíza Maria Luíza Gaspary, o presidente da Câmara, Rubem Carlos Jagmin, a presidente do Conselho Municipal de Assistência Social, assistente social Cristiane Barasuol, que também será a técnica responsável pelo Programa, o presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Vanderlei de Ávila, e a coordenadora do Conselho Tutelar, Roselaine Nogueira. Também estiveram presentes secretários municipais, representantes de entidades, presidentes de bairros e comunidade em geral. 

Fonte: Prefeitura de Ijui