A Ceriluz ampliou a capacidade instalada das suas duas subestações, a SE Ceriluz 01 –
Reinholdo Luiz Kommers, e a SE Ceriluz 02 – Aparício Piccinin. Isso ocorreu a partir
da troca inicial de um transformador da Subestação Ceriluz 01 – Reinholdo Luiz
Kommers, localizada na comunidade de Chorão, em Ijuí, que passou de uma potência
de 20 Megavolts-ampere (MVA) para 22,5 MVA. A Subestação Reinholdo Kommers
possui dois transformadores e ambos eram de 10MVA, porém, um deles foi substituído
por um novo de 12,5 MVA, totalizando investimento de R$1,2 milhões. Desde seu
funcionamento, esta foi a segunda vez que a estrutura passou por uma ampliação da
capacidade de carga. Em janeiro de 2013 a Cooperativa efetivou a substituição de dois
transformadores de 5 MVA por outros dois de 10 MVA, dobrando a sua capacidade.
Esse investimento na subestação de Ijuí também terá reflexos na Subestação Ceriluz 02
– Aparício Piccinin, localizada na comunidade de São Jacó, em Santo Augusto. Isso
porque, o transformador de 10 MVA retirado da subestação de Ijuí irá substituir um
transformador de 5 MVA da subestação de Santo Augusto, elevando sua capacidade de
10MVA para 15 MVA.
A ampliação de capacidade das duas unidades de transformação traz mais segurança
para os associados que poderão ampliar seus investimentos, como explica o engenheiro
eletricista responsável pelo setor de redes, Bráulio Schussler. “As duas subestações
trabalhavam com a capacidade para, no caso da falha de um equipamento, o outro
conseguir assumir toda a carga, no entanto, com o aumento de ligações que tivemos
para atender pivôs de irrigação, principalmente na Subestação de Santo Augusto,
dependendo a época do ano, um transformador não conseguia mais absorver a carga
pelos dois. Esse foi o principal motivo que nos levou a fazer esse aumento de
capacidade destas duas subestações”.
O segundo motivo das trocas foi a necessidade de um transformador reserva. Com esse
remanejamento o transformador do 5MVA retirado da Subestação Aparício Piccinin
será desativado provisoriamente podendo ser reaproveitado em caso de dano a algum
dos transformadores em operação. Num médio prazo ele será reutilizado em uma nova
subestação a ser implantada em local estratégico ainda a se definir, para a segurança
energética na área de ação da Ceriluz. Além dessas duas subestações, SE Reinholdo
Kommers e SE Aparício Piccinin, a Cooperativa possui conexão com a Subestação Ijuí
01, no município de Ijuí, de propriedade da CEEE.

Fonte: CERILUZ