Decisão da Anatel sobre a obrigatoriedade do carregamento de 14 canais foi publicada na última quinta-feira

O fato da Anatel ter decidido no dia 9 de maio que a Sky deveria carregar em seu satélite os sinais das 14 redes nacionais de TV aberta, no prazo de dez dias - negando o recurso da operadora - gerou confusão entre alguns usuários ansiosos pela mudança. Apesar de a decisão ter ocorrido no começo do mês, a decisão do Conselho Diretor da Anatel só foi publicado na última quinta-feira (23), quando então se iniciou o prazo de dez dias para o cumprimento da decisão.

Apesar da lei do Serviço de Acesso Condicionado (SeAC), aprovada em 2011, estabelecer o carregamento obrigatório de todos os canais das geradoras locais de TV pelos operadores de TV paga, uma exceção foi criada para os serviços de satélite (DTH), que, de fato, não teriam condições para carregar os mais de 500 canais das geradoras de todo o Brasil. Esta exceção, no entanto, só vale se a operadora não carregar qualquer sinal de TV aberta, segundo o entendimento da Anatel. Se a operadora carregar pelo menos um canal de uma emissora nacional, terá que carregar o das outras 13 emissoras, e a Sky carrega os sinais de pelo menos seis emissoras abertas.

Até o momento, a Sky, empresa do grupo DirecTV, não informou se está se preparando para o carregamento do sinal de todos os canais abertos.