Impulsionada pelo programa Rumo a Iso 9000, do Sebrae RS, empresa cresce de 25% a 30% em faturamento por ano




 

 

 

 




Primeira indústria de máquinas de café certificada no Brasil. Única do País focada em produzir para o mercado de operação. Essa é a Vend. As máquinas que são vistas no varejo e nas empresas ou são feitas por ela, ou são importadas. É assim desde 2011. Para 2019, o plano é expandir a marca e concorrer no Exterior. “Estamos lançando uma linha nova, com mais recursos, reestilizada, com diferentes design e tecnologia para começarmos a exportar”, adianta o sócio e gestor comercial, Paulo Kistt.

 

Mas quem vê a Vend como ela está hoje nem imagina que, antes de se especializar e se tornar referência no segmento, foi uma empresa de automação industrial e tecnologia sem produto próprio, na cidade de Esteio, de dezembro de 2007 até 2010, quando começou sua transformação. Neste mesmo ano, as primeiras máquinas foram produzidas e os sócios decidiram focar apenas nisso. Porém, enganam-se aqueles que pensam que só a ideia bastaria para o sucesso e que a troca de mercado não traria dificuldades e imprevistos.

 

Justo no momento de criação do produto que eles ficaram cientes da maior dificuldade: a exigência de certificação e selo de segurança elétrica, cujo custo para ensaios e adequações necessárias chegava a caros R$ 20 mil para quem estava recomeçando. “Tínhamos um bom produto, mas que não atendia aos requisitos técnicos”, lembra Kistt.

 

Seria preciso recomeçar pela segunda vez. Agora, sem mudança de ideia e com ajuda. Foi quando, em 2011, os três sócios recorreram ao Sebrae RS na vizinha São Leopoldo, onde fica, atualmente, a sede própria do empreendimento. “Eles procuraram o Sebrae RS em busca da certificação do produto. Inicialmente, fizeram Plano de Negócios, consultorias e o programa Rumo a Iso 9000 para alavancar o projeto”, recorda o gestor do Sebrae Saulo Morschel.

 

Deu certo. E a relação não parou por aí. A empresa esteve em atividades do Sebrae RS até 2016, participando de cursos, feiras, programas e oficinas. “A Vend chegou a este patamar porque preza por melhoria contínua e aperfeiçoamento de processos”, salienta Morschel.

 

Dentre as prioridades, a otimização sempre esteve em pauta. Em 2012, os sócios realizaram oPrograma Lean Manufacturing, focado em produção enxuta e redução de perdas. Em 2013, tiveram acompanhamento mensal com indicadores de desempenho. No ano seguinte, participaram do Programa Perda Zero, em parceria com o Senai. E em 2016, fizeram-se presentes em oficina de eficiência energética. Agora, na nova linha, estimam reduzir o custo de produção em 10%.

 

Para Kistt, todo o êxito é resultado da orientação passada pelo Sebrae RS. “A empresa aumentou em cinco vezes a área de produção, nossa participação em vendas no mercado cresce de 25% a 30% a cada ano, estamos com 15 funcionários e vamos levar o produto para fora do País. O Sebrae RS foi fundamental para o nosso crescimento. Sem a consultoria, a Vend não existiria hoje, ou mudaria de ramo novamente”, afirma.

 

Nessa troca de experiências, Morschel considera gratificante fazer parte da evolução do projeto. “É muito legal testemunhar o sucesso da Vend e saber que o Sebrae RS ajudou a transformar a realidade dela”, conclui.




Fonte: SEBRAE/RS