“Se um vence, todos podem vencer”. Foi com este chamado que a
Unimed Noroeste/RS estimulou seus colaboradores para a palestra “Prevenção
do Câncer de Próstata”, como parte da programação da campanha Novembro
Azul. A abordagem foi realizada pelo médico Edilson Walter, coordenador
técnico do Serviço de Oncologia do Hospital Unimed Noroeste/RS. Também
participaram pacientes convidados.
Segundo o oncologista, a próstata “é o órgão que mais dá câncer no
homem. É pequeno, mas tem um potencial de tumor muito grande”. Por isso,
a partir dos 40 anos é importante a consulta com urologista ou oncologista e a
realização dos exames de toque retal e do Antígeno Prostático Específico
(PSA). “Não é bom fugir disso ou ter medo. Com a idade aparecem os
problemas e a gente tem que prevenir ou fazer diagnóstico precoce”, alertou
Edilson Walter, reforçando que o principal fator de risco para o Câncer de
Próstata é a idade, seguido de outros, como hábitos alimentares. A próstata é
uma glândula do sistema reprodutor masculino localizada abaixo da bexiga. A
principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produção de
esperma.
“A ideia é que se faça prevenção e diagnóstico precoce”, ponderou o
médico, visto ser uma doença que somente apresenta sintomas quando está
em estágio avançado. “Aquele paciente que chega com sintomas dificilmente
vai curar”, esclareceu explicando que ainda pode contribuir para o surgimento
de metástases em outras partes do corpo. Edilson Walter complementa que os
pacientes que desenvolvem a patologia necessitam de tratamento que envolve
uma equipe multidisciplinar para suporte. “Os serviços que a Unimed vem
tentando formar são extremamente importantes para a população”, explicou.
O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca)
alerta para a estimativa de que, somente em 2018, mais de 68 mil novos casos
de Câncer de Próstata podem surgir. O gerente Assistencial do Hospital

Unimed, Günter Melchiors, ressalta a importância de palestras para esclarecer
sobre a doença. “A abordagem é um alerta para não ‘cair’ em mitos ou em
falsos entendimentos sobre o assunto”, ratificou.

Fonte: UNIMED