Os 320 municípios com infestação de Aedes Aegypti no Rio Grande do Sul foram contemplados com um total de R$ 4.512.567,01 para ações de prevenção e controle do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Com a assinatura da resolução 046/19 da Comissão Intergestores Bipartite, nesta quinta-feira (31), a secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, garantiu que mais 88 municípios recebam R$ 2.039.016. Na semana passada, 232 municípios já haviam recebido R$ 2.473.550,95.

“Desta forma, 100% dos municípios infestados poderão contar com esse apoio e esse aporte financeiro para incrementar as ações de vigilância, especialmente as de prevenção e cuidado”, ressaltou a secretária. 

Ela explica que o cálculo dos valores correspondentes a cada município foi definido de acordo com o número de habitantes. “Essa resolução aprova e autoriza a transferência de recursos tomando como base a taxa per capita de 0,49.” No entanto, nenhum município receberá menos do que R$ 4 mil e haverá um teto, conforme faixa populacional.
O presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Consems), Diego Espíndola, considera que “tal medida mostra que é possível para o Estado encontrar ferramentas para ajudar a municipalidade”. 
Entre os beneficiados com a nova resolução estão municípios como Panambi, da região Noroeste, cidade em que foi registrado o primeiro caso de dengue autóctone (contraída no RS) em 2019. 
Também estão contempladas algumas das maiores cidades, como Porto Alegre, Canoas, Caxias do Sul, Pelotas e Novo Hamburgo.
As iniciativas fazem parte da estratégia de fortalecimento das áreas de saúde no período de veraneio, integrando a Operação Verão para Todos do governo do Estado.

Fonte: Secretaria Estadual de Saúde