Rádio Mundial

Notícia

Elefante-marinho na Praia do Cassino está sendo monitorado pela Portos RS e pelo Centro de Recuperação de Animais Marinhos
30142213_2115324_GDO

Animal apareceu no dia 19 de janeiro, próximo a uma das guaritas dos guarda-vidas na beira da praia

A Portos RS e o Centro de Recuperação de Animais Marinhos (Cram) da Universidade Federal do Rio Grande (Furg) estão monitorando o elefante-marinho juvenil que está na beira da Praia do Cassino desde 19 de janeiro. O animal apareceu próximo a uma das guaritas dos guarda-vidas da Operação Verão Total e, aos poucos, tem avançado em direção ao centro do balneário, sendo monitorado de perto pelos técnicos.

A oceanóloga e coordenadora do Cram, Paula Canabarro, explicou que o animal está no Cassino para um processo de troca de pelo, devendo permanecer até concluir boa parte dessa mudança. “Esse é um animal macho juvenil. Nós estimamos que ele pese entre 700 e 800 kg e meça três metros. Os machos adultos dessa espécie chegam a seis metros de comprimento e quatro toneladas de peso. Então, esse é um animal que ainda está no início de sua vida, com cerca de quatro anos de idade”, disse Paula.

Além de permitir o descanso do elefante-marinho, o isolamento também serve para a proteção dos veranistas, pois trata-se de um animal selvagem que pode causar riscos a quem se aproximar. Durante o dia, os técnicos do Cram se revezam no monitoramento e à noite esse trabalho é realizado pela Patrulha Ambiental da Brigada Militar e pela Guarda Municipal.

“A orientação tem sido no sentido de que a área seja respeitada. Também é uma oportunidade de falarmos para as pessoas um pouco sobre a biologia desse animal, seu papel ecológico e sua presença nesse local. Assim, a gente pode divulgar cada vez mais a ideia do nosso trabalho, que visa à conservação do ambiente marinho e costeiro”, completou a oceanóloga.

O diretor de Meio Ambiente da Portos RS, Henrique Ilha, mencionou o trabalho de excelência técnica desenvolvido pelos profissionais no cuidado com as questões da vida marinha. “Trabalhamos com o Cram em várias outras oportunidades junto aos eventos na área portuária e ficamos muito satisfeitos em ver a excelência técnica da atuação das equipes. Isso mostra o valor desse trabalho, a importância da conservação ambiental e das boas práticas na zona portuária e suas adjacências”, afirmou Ilha.

A Portos RS e o Cram contam com uma parceria de longa data. A autoridade portuária mantém com a instituição um contrato para o monitoramento da fauna, em casos de situações de acidente com óleo na área do Porto Organizado do Rio Grande.

Texto: Ascom Portos RS
Edição: Camila Cargnelutti/Secom
Foto: Divulgação Portos RS