Rádio Mundial

Notícia

Vasinhos vermelhos no rosto: especialista explica por que eles surgem, os riscos e como podem ser tratados
vasinhos

Aqueles pequenos vasos sanguíneos que normalmente aparecem ao redor do nariz, bochechas ou queixo são comuns, afirmam os dermatologistas. Eles são chamados de telangiectasias, ou informalmente, vasinhos, que são pequenos vasos sanguíneos dilatados que foram danificados e são visíveis logo abaixo da superfície da pele. Eles geralmente aparecem no rosto, mas podem aparecer em qualquer parte do corpo, inclusive nas pernas.

“Eles não são prejudiciais. Eles apenas parecem feios. Embora as veias sejam pequenas, medindo apenas cerca de um milímetro de diâmetro (aproximadamente a largura da ponta de um lápis afiado), elas podem ser tão feias que você deseja removê-las”, diz Mitchel Goldman, dermatologista de San Diego especializado em tratamentos de veias.

Causa

Segundo Goldman, os danos causados pelo sol são a causa número um de vasinhos no rosto. A exposição destrói a camada que envolve todos os vasos sanguíneos, conhecida como lâmina elástica interna. Quando o revestimento é destruído, os vasos sanguíneos se expandem e ficam visíveis logo abaixo da pele.

“A radiação ultravioleta do sol também pode interferir no processo de reparo celular da pele e causar a ruptura do tecido cutâneo, tornando os vasinhos mais visíveis”, diz Stephen Warren, cirurgião plástico e reconstrutivo da cidade de Nova York.

Como explica Warren, o rosto é mais suscetível a vasinhos simplesmente porque geralmente não é coberto e tende a ficar mais exposto ao sol do que outras partes do corpo.

A genética também pode predispor o surgimento de vasinhos. O mesmo acontece com o envelhecimento, quando a pele perde colágeno, tornando os vasinhos mais evidentes.

“Traumas faciais, como os causados por cirurgia ou lesão, também podem causar vasinhos”, observa Warren. “Acabei de atender uma paciente que estava praticando esportes quando a bola bateu em seu rosto e ela desenvolveu telangiectasias”, diz.

Ele também acrescenta que espirros excessivos ou congestão nasal podem dilatar os vasos sanguíneos ao redor do nariz.

“O aumento dos níveis sanguíneos do hormônio estrogênio é outra causa de vasinhos, colocando em maior risco aquelas que estão grávidas ou que tomam anticoncepcionais ou terapia de reposição de estrogênio”, diz Amy Huang dermatologista de Nova York.

Tratamento

“O tratamento a laser é a melhor maneira de se livrar dos vasinhos”, diz Goldman. “O calor do laser destrói o vaso sanguíneo, fazendo com que ele encolha e eventualmente se dissolva e seja reabsorvido pelo corpo”, acrescenta Huang.

Uma maneira de fazer isso é com um laser de corante pulsado, que usa raios de luz intensos e concentrados para destruir o vaso sanguíneo sem danificar a pele ao seu redor. Outra opção é o laser Nd:YAG (ou granada de ítrio-alumínio dopada com neodímio). Este laser penetra mais profundamente na pele do que outros tipos de laser e tem menos probabilidade de causar alterações de pigmentação.

A terapia com luz intensa pulsada também pode eliminar vasinhos usando pulsos de luz para atingir os vasos sanguíneos e aumentar a produção de colágeno. O tratamento utiliza um amplo espectro de luz, por isso também pode ser usado para tratar outros problemas de pele, como cicatrizes de acne, hiperpigmentação e rugas, ao mesmo tempo.

“Os tratamentos com laser e luz intensa pulsada podem causar alguma dor, mas são seguros e os efeitos colaterais, como hematomas, são mínimos”, diz Goldman.

No entanto, podem ocorrer cicatrizes ou alterações na pigmentação se o tratamento não for feito corretamente. Goldman recomenda consultar um dermatologista credenciado ou outro médico com experiência nesses procedimentos.

Os vasinhos geralmente desaparecem permanentemente após o tratamento. Mas podem reaparecer se você continuar exposto aos danos solares, tomar estrogênio ou sofrer traumas faciais, esclarece a profissional. Portanto, pode ser necessário repetir o tratamento uma ou duas vezes por ano.

Por Redação O Sul

(Foto: Reprodução)